terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Cartas à Pitchula - coisas que me deixam estarrecidas

Olá minha pequena cadela, 


As vezes leio cada coisa que me deixam estarrecidas. Não quero julgar, mas como me manter inalterada diante de certas coisas? Eu li um artigo sobre uma mãe que teve um filho com Síndrome de Down e rejeitou-o. Lembra como é a criança com Síndrome de Down? São pessoas especiais que tem certas limitações, elas tem uma alteração genética, tem três cromossomos onde deveriam ter dois. Ainda não se sabe porque isso acontece. Podem ter uma vida normal como qualquer criança, somente precisam de mais dedicação dos pais. São criaturas super/hiper/ mega amorosas. (Esses dias atrás, passei por uma na rua, uma menininha e ela sorriu para mim e estendeu a mão e tocou na minha. Foi uma sensação tão boa, um carinho espontâneo e sincero.)

A gente até entende que uma mãe, depois de dar a luz entre naquele estado de depressão puerperal, sabe como é minha pequena? A pessoa fica deprimida a tal ponto que rejeita o próprio filho e existem casos extremos que até tentam tirar a vida do bebê. Isto é uma realidade, prevista até no Código Penal, está no artigo 123 -   Infanticídio  Matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após:         Pena - detenção, de dois a seis anos.

Neste caso, a conduta da mãe foi outra. Ela obrigou o pai da criança, seu marido, a escolher entre ficar com ela ou com o filho.

É assustador... Tento compreender, mas é complicado. Que a mãe tenha rejeitado, tá compreendo... mas obrigar o pai a rejeitar também... foge à minha compreensão. Felizmente, para o bebê,  o pai optou por ficar com ele.

Vou colocar a noticia e a foto do bebê, para vc ver como ele é fofo.

bebe-abandono-síndrome-de-Down
 "O caso aconteceu na Armênia, com Samuel Forrest Badalyan, casado há 18 meses. O pequeno Leo é o primeiro filho do casal, e foi abandonado não só pela mãe como pelo resto da família. De acordo com “Daily Mail”, citando a emissora “ABC”, a mãe se recusou a olhar ou mesmo tocar no filho.
O pai contou que também ficou chocado com a notícia, mas que amou o pequeno desde o primeiro momento em que o viu. Nunca passou pela sua cabeça abandoná-lo. “Eles me levaram para vê-lo, eu o vi e pensei ‘ele é lindo e perfeito’”.Quando ele levou o bebê para a mulher, ela ameaçou deixá-lo caso permanecesse com a criança. Ele decidiu ficar com o recém-nascido e a mulher pediu o divórcio uma semana depois.
O pai de primeira viagem tenta agora arrecadar verba para voltar para sua terra natal. Uma página para angariar fundos foi criada e já arrecadou mais de US$ 180 mil em apenas dez dias. O dinheiro será usado para que a nova família encontre uma casa em Auckland e para auxiliar na educação da criança. Desejamos muito sucesso para a vida do pequeno Leo!"

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Cartas à Pitchula - Lembranças

Oi pequena cadela...


Sabe, as vezes dou risada sozinha lembrando de certos episódios que vivemos.

Hoje eu estava lembrando de quando você era bem pequeninha e num sábado eu e o Miguel íamos na feira e eu fui até à casa da Lirta para perguntar se ela queria alguma coisa da cidade, e a Lirta se ofereceu para ficar com você, fiquei meio que na dúvida, mas vc foi brincar com a, como era mesmo o nome da cachorrinha dela? Esqueci! Era uma fox paulistinha, chatinha, vivia latindo, mas gostava de mim. Lembrei! Kika, era esse o nome dela. Daí eu saí de mansinho e deixei você lá, que nem me viu sair.

Bom, quando voltamos da feira, eu fiquei guardando as compras e o Miguel foi lhe buscar. Meu Deus, a cara que vc voltou pra casa, foi de doer! Não fez festinha para mim, muito pelo contrário, me ignorou totalmente. Eu mexia com você e você indiferente, e ainda fazia pirraça, ia para o lado do Miguel e tirava a maior onda. Parecia que dizia assim. Não quero saber de você, você me abandonou. Só quero o Miguel, ele foi me salvar! E assim vc fez o dia inteiro, me ignorou! 

E ainda dizem que cachorro não tem sentimentos! 

Olha a chuva! De novo. Está chovendo. 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Cartas à Pitchula - Vai Vai ganhou.

Olá minha pequena,

Resultado de imagem para fotos vaI VAI 2015

Acabou de serem conferidas as notas do desfile do carnaval deste ano - 2015 - A Vai Vai ganhou. Merecidamente. Homenageou Elis Regina, foi um desfile emocionante. A escolha de Elis fez a diferença. Os filhos da Elis ficaram emocionados com o público e emocionaram ainda mais o próprio público. Mesmo aquelas pessoas que são fanáticas por outras escolas se renderam à Elis e ao samba da Vai Vai. Muito bonito mesmo. 

Eu assisti um pouco do desfile do Rio de Janeiro, mas não aguento assistir tudo. E chega uma hora que eu não sei mais o que é o que e quem é quem, embolo tudo. Mas uma coisa sou obrigada a admitir: O povo criativo! Cada ano eles conseguem se superar. Vejo o que inventaram esse ano e acho que não terão mais o que inventar, e vem o ano seguinte e inventam mais e mais. Este ano teve até fogo na avenida! Fogo de verdade! Eu vi na Ana Maria - Mais você, como fizeram, muito bem bolado. Show. E as mesas com pernas humanas, dançando? Muito legal! 

E no ano que vem, o que vão inventar?



segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Cartas à Pitchula - Blattella Germânica

Boa tarde, minha pequena,


Já trabalhei bastante hoje. Em casa apareceu aquelas baratinhas multinacionais. Sabe quais? Aquelas que são chamadas de germânicas (Blattella Germânica) Porque eu defino como multinacionais? Oras, porque também são chamadas de francesas e paulistinhas, mas na verdade elas veem da China, nas caixas de mercadorias. Aqui embaixo do prédio abriu um mercadinho, então já viu... Não há lata de inseticida que chegue. Eu estudei as baratinhas, kkkk você me conhece, sabe que eu vou a fundo... Essas baratinhas vivem por volta de 300 dias e cada fêmea coloca 40 ovos de cada vez e elas procriam 4 a 6 vezes durante a vida, Faça as contas! Meu Deus, isso é uma praga! 

Bom, como eu ia lhe contando, porque eu trabalhei demais, comprei um veneno pela Internet e coloquei nesses dias atrás. Como tinha baratinha morta! Tive que limpar a cozinha inteira. 734 baratinhas mortas! Se eu contei as baratinhas? Claro que não, tolinha... É que eram muitasss e eu achei o número 734 bonito! kkkkkk

Só que eu ainda tenho uma dúvida se foi o veneno mesmo que matou, pois eu coloquei umas iscas que aprendi na Internet também. Açúcar com bicarbonato. Mas não vou perder meu tempo tentando descobrir qual foi, ou se foram os dois. Coloco os dois e pronto!

* Me recuso a colocar foto daquela coisa nojenta. Coloquei um link.

Agora vou voltar ao meu trabalho de pesquisa. Não... das baratinhas não... O meu projeto de pesquisa para a Faculdade... 

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Cartas à Pitchula - Sábado de Carnaval



Boa tarde, minha pequena, como você está? 

Com certeza bem, afinal como diria Marcel Benedeti “Todos os animais merecem o céu” e vc mais do qualquer um, meu anjo de pelos, sendo assim, deve estar em um bom lugar.

Hoje é sábado de carnaval. Está um dia muito bonito, faz sol e um calor abrasador. Aliás, tem feito muito calor nos últimos tempos. E vou lhe contar uma novidade que provavelmente nunca lhe passou pela sua cabecinha, a Represa da Cantareira está secando! Você imagina isso, minha pequena cadela? Uma represa daquele tamanho, com aquela quantidade de água secando? Eu nunca imaginaria. Tenho na memória a lembrança de uma propaganda do Maluf, ele mostrando a tubulação de água, com um carro dentro! Será que imaginei essa propaganda? Uma tubulação que cabe uma carro é para muita água. E estão dizendo que de toda a água que cabia naquela represa só resta 5%, acredita? Nem eu!

Estamos tendo que economizar. Escovar os dentes? Meio copo. Tomar banho? Molha-se, fecha a torneira e liga para enxaguar. Lavar a louça? Fecha a torneira para ensaboar. E quando a gente chega a casa, depois da faculdade e de um dia de trabalho, neste calor terrível, toda suada, azeda e não tem água para tomar banho? É para chorar. E agora dizem que vai ficar dois dias com água e cinco sem! Eu fico pensando o que vai ser de todos. Como fazer comida sem água? Come no restaurante? E o restaurante como faz sem água? Não faz. Como trabalhar? Imagina onde eu trabalho, onde centenas de pessoas passam o dia inteiro? Banheiros? Já imaginei uma solução, colocarem uma norma no banheiro de só dar descargas após cinco número um, sabe aquela marcação que a gente faz; cinco tracinhos? O quinto daria descarga! Não é uma boa ideia? Seria necessário distribuírem prendedores para lacrar o nariz! Não... O número dois nem pensar... 

Nessa semana eu levantei, abri a torneira para escovar os dentes e? Não tinha uma gota de água, escovei os dentes com água gelada. Até aí, tudo bem, mas e para tomar banho? duas garrafinhas não iam dar, com certeza. Tomei banho de gato. Daí ligo a televisão e mais uma vez rompeu uma tubulação, canos estourados, vazando baldes e baldes de água. Que adianta a gente economizar, economizar e a SABESP incompetente deixa escapar pelo ralo de 30 a 40% da água, na canalização? Pode isso, produção? 

Você ia gostar da falta de água, menos banho. Apesar de que vc não gosta de tomar banho, mas gosta de ficar cheirosinha, pelo clarinho, soltinho. Lembra-se de quando a gente morava no rancho e eu dava banho em você, secava com o secador e falava: -- vai mostrar para o “papai” como esta cheirosa? Você ia toda faceira... Bons tempos, neh.
Hoje fui ao Iamspe tirar sangue para fazer exames, passei embaixo de uma goiabeira e me lembrei dessa época lá também. Quando ia dar uma volta com você e parávamos debaixo daquela goiabeira na frente da casa do Sr Pedro. Você deitava na grama e eu ficava procurando a goiaba maior e mais doce. Que cheiro bom!
Vou encerrando por aqui. Mas eu escrevo logo, manterei vc informada das novidades.


Bjsss e que Papai do Céu cuide de você.