sábado, 2 de novembro de 2013

Bem estar bem

       
       
       
        Olhando o céu agora, azul, vendo o sol, me remeteu a outros sábados, outros céus azuis, outros dias ensolarados e aconchegantes como hoje. 
        Como eu gostaria de poder compartilhar essa sensação de bem estar que eu senti tantas vezes, como gostaria que todas as pessoas tivessem essa mesma sensação. Eu tenho o que recordar, eu tenho o que buscar na memória para tornar mais leve os dias cinzas. 
       Quando eu morava no rancho, na beira do rio, era normalíssimo sentir esse bem estar. Acordar no sábado de manhã, respirar profundamente sentindo o ar leve, puro, com perfume de flores no ar, nessa época deve ter um cheiro de flor de laranjeira espalhado. Ouvir pássaros diferentes, varios cantos misturados. Ver o brilho do sol nas folhas verdes. Ver o leve chacoalhar das folhas ao sopro do vento. Ver as águas do rio descendo mansamente. Não tem nada igual nesta vida, semelhante sim, igual não. Mas a sensação do sol tocando a pele, a brisa arrepiando os pelinhos do braço. 
        Sempre aparecia um vizinho, um amigo para trocar uns dois dedos de prosa, conversar coisas amenas, para compartilhar esses momentos. E eu sabia que eram bons, então os aproveitava. Por que muitas pessoas só vão perceber que tiveram momentos bons, quando não os tem mais. Infelizmente. Eu vivi intensamente esses momentos. Curti cada minuto. E quando tenho a oportunidade, curto de novo.
       

Nenhum comentário:

Postar um comentário