sábado, 30 de novembro de 2013

Aprendendo a tocar Taiko - 1


Eu nunca tive dom para música, muito pelo contrário, sou péssima nisso. Não tenho ouvido, não consigo distinguir um dó de um si. Não consegui aprender a dançar até hoje e minha coordenação motora é horrorosa. Eu consigo fazer simultaneamente algumas coisa, eu consigo ler uma coisa e ouvir uma aula por exemplo e entendo as duas. Consigo escrever sobre um assunto e ouvir uma aula de outro, tranquilamente. Consigo falar ao telefone e responder um e mail ao mesmo tempo e ainda dar atenção à uma pessoa que estiver falando comigo.   

Mas musica??? Complicado... Coordenar esquerda mais a direita? Que sacrifício! 

Por isso que decidi fazer alguma coisa relacionado com isso, preciso desenvolver essa habilidade. Que graça tem em vc fazer alguma coisa que é fácil? o Legal é o desafio, vamos explorar nossas capacidades ao máximo, e se não tiver essa capacidade, vamos inventa-la, buscar nosso potencial adormecido 

Frequento as festas da Colonia Japonesa na Liberdade há algum tempo e quando eu ouvi uma apresentação de Taiko a primeira vez, me arrepiou a espinha. O som adentrou pelos ouvidos, inundou minha cabeça, se espalhou pelo meu corpo e o meu coração bateu no mesmo compasso. Ritmo. Descobri que era isso que eu queria para mim. Essa sensação maravilhosa. 

O tempo foi passando, e a cada festa, a cada Festival do Japão, eu já via na agenda que horas era a apresentação de Taiko, era nesse horário que com certeza eu estaria.

Neste ano, 2013, fui ao Festival do Japão em julho e sai de lá meio que determinada. Comecei a pesquisar sobre o Taiko. Achei o Setsuo Kinoshita em uma chamada do SESI. Escrevi um email, disse das minhas dificuldades e receios, afinal, não sou nenhuma mocinha, e alem disso sem condicionamento físico e sem aptidão. Ele disse que dava certo e eu acreditei nele.





Nenhum comentário:

Postar um comentário