sábado, 3 de novembro de 2012

Segura a gerusa!

Desenhos Para Colorir Cobra, Figura 6, Cobrinha, PintarMinha irmã que veio com essa historia de gerusa, diz que quando a gente fala antes de pensar é que soltamos a gerusa que mora dentro de nós! 
Tem duas versões: "Segura a gerusa!" e "Recolhe a gerusa"

Acho que segurar a gerusa seria mais interessante... Não perguntem por que gerusa, ela tbm não soube responder, parece que ouviu de outra pessoa também.
Sabe aqueles momentos que quando você percebe já falou? Acho que todo mundo passa por isso! Ahhhh se a gente respirasse antes...
Essa irmã mesmo conta que em outro dia estava no supermercado por que queria comer couve-flor e encontrou uma com aquelas pintinhas pretas, nada que uma faquinha não resolvesse e decidiu levar assim mesmo, a vontade era maior. Pois bem quando ela estava no caixa uma mulher atrás dela, na fila, falou: "Você vai levar essa couve flor? Ela está podre!"
Ela não segurou a gerusa. Minha irmã, que é fina, conseguindo segurar a gerusa dela, se limitou a olhar a mulher e responder: Vou. E a mulher não contente, com a gerusa descontrolada, continuou insistindo que a couve flor estava podre, que ela não deveria levar e por ai afora, ela ignorou solenemente a mulher. A caixa ( que tem uma gerusa também...) perguntou: A senhora vai levar? E ela confirmou, olhando com aquele olhar: Você não vai falar nada, não é mesmo? 
Bom, minha irmã me contando a historia coloca o outro lado da questão, o lado das pessoas que não gostam de palpites alheios, que decidem por si mesmas e estando certas ou erradas não faz diferença, por que a escolha foi delas. 
E eu sou mestra em dar palpites! Foi onde ela começou a me pegar no pé e dizer para que segurasse essa gerusa descontrolada que há dentro de mim, que feito uma cobra, se solta e salta  para dar o bote! 

Ela não entende que faço isso com a melhor das intenções. Se dou um palpite no supermercado é por que acho que vai ser bom para a outra pessoa, não é para me intrometer na vida alheia, é para passar parte  da minha experiência! Mas por outro lado ela tem razão, as pessoas não estão interessadas na minha experiência. Na definição dela, que pode e deve estar mais correta que a minha, as pessoas quando querem uma informação, elas PEDEM, por isso, que nós, seres mortais, que acham que podemos ser úteis, devemos esperar e não nos antecipar e dar pitacos na vida alheia.

Outro dia, no ponto, duas senhoras, parecendo mãe e filha, perguntaram para o motorista que parou para elas se o ônibus passava em tal lugar, o motorista disse que não e pronto. E eu sabia, ando nessa Brigadeiro há trinta anos, sei todos coletivos que passam e o trajeto da maioria! Para mim, é super natural eu virar e falar: senhora, o ônibus tal passa... A mulher me olhou com uma cara feia e respondeu: pode deixar que eu pergunto para o motorista, eu até imaginei a cena, ela parando todos ônibus e perguntando para cada um se ele passava no tal lugar. Mas por outro lado, bem feito para mim, quem mandou ser abelhuda, quem mandou não segurar a Gerusa? Era um direito dela escolher para quem perguntar, vai ver que ela ja recebeu uma informação errada e tem um trauma, vai saber...

Eu sempre me meto em confusão por falar demais, por me intrometer demais, quando percebo já falei. Aquelas situações que alguém vem pedir alguma coisa e antes de pensar já deu o sim? Bem isso. Uma amiga falava para mim: Vá no banheiro antes, se dê oportunidade de pensar antes de falar, beba água,  com a boca cheia, a gente não fala. Mas não, a Gerusa descontrolada é impossível, insaciável! E eu vou passando perrengues por causa da Gerusa. 
No supermercado é o lugar que a Gerusa mais se solta, dá palpite nas compras dos outros, sugere produtos, dá até receita! Afinal eu já usei aquele amaciante... já experimentei aquele macarrão, super natural que eu sugira, mas as pessoas querem, ou deveriam querer, ter as próprias experiências... 

Na faculdade, por ser mais velha que muitos alunos e por já ter vivido mais que eles, fico imaginando por que fazem isso, em vez daquilo, mas estou tentando me controlar. Já fui jovem também. Infelizmente não tive a mesma oportunidade que eles estão tendo de poder estudar, tive que esperar a vida inteira para conseguir ter. Como gostaria que entendessem isso e não perdessem tempo... Mas o que é bom para mim pode não ser para eles. 

Esses dias tive uma experiência dessas, na verdade tive várias, mas essa eu lamentei depois, porém não tinha mais jeito, a Gerusa já tinha se descontrolado, se libertado e falado! Um homem reclamando para mim da filha dele, falando horrores dela, que ela fazia isso, ou aquilo e que alguém tinha que dar um jeito, tinha que resolver, que alguém tinha  que dar uma solução para o problema dele, como se a responsabilidade fosse dos outros, aí a Gerusa saltou garganta afora e disse para ele: Foi o senhor que criou..., quando percebi, já tinha saído  E ele me olhou e respondeu com um olhar desconsolado: Você tem razão... Você tem razão...

Minha irmã pega no meu pé direto, engraçado que meus irmãos são mais reservados do que eu. Meu irmão falava que eu parecia um paraquedas, vivia me abrindo. era só darem uma cordinha e eu já me arreganhava. Isso por que eu vivo sorrindo, ando na rua assim, converso com todo mundo, fila para mim é um lugar para esperar conversando. 
Fui no hospital outro dia e mesmo depois da minha consulta, ainda continuei o papo com a diretora de uma escola de Guarulhos, muito proveitoso o papo, diga-se de passagem.

Tenho um amigo que vem contando as coisas do serviço dele, tento me controlar para não dizer o que penso, mas ele insiste em me contar e eu como estou do lado de fora, vejo com outros olhos e tento controlar, segurar a gerusa, quando percebo ela já se descontrolou e falou um monte para ele. Mas não falei tudo que vejo, ainda não.... kkkkk

Eu bem que tento ser séria, mas é muito difícil. Mas uma coisa eu garanto: Estou aprendendo a segurar a gerusa, pelo menos tentando!

* Fui pesquisar na internet. Tem uma comunidade meio desativada no Orkut, aberta em 2005.  Se você não consegue controlar sua ansiedade, começa a falar antes que a outra pessoa termine, nunca aguenta esperar sua vez e fica louco quando um gago conversa com você.
Quando surge aquela vontade incontrolável de dar pitaco você não perde a oportunidade. Aquilo que te corrói por dentro sai e faz um estrago.
Este ser que vive dentro de você tem um nome: GERUSA!!
Enfim, esta comunidade é para você que ainda tem esperança em domesticar esse bichinho que foi batizado pelo Sr. Pedro Henrique.
 Deve ser dai que saiu o Segura a Gerusa. 
Ou será que a cantora Gerusa Gomes que canta Segura em suas mãos foi a primeira?

4 comentários:

  1. Oi Silvia,

    Muito bom esse post, caiu para mim como uma luva.
    Eu tenho uma dificuldade enorme em controlar a gerusa.

    bj.
    Silvia

    ResponderExcluir
  2. Silvia,

    Ontem eu voltava da escola onde fui fazer o concurso e começou cair uns pingos de chuva, eu parada e uma moça perto de mim falando ao telefone com o namorado, não teve jeito,eu ouvi a conversa e pelo jeito ela queria que ele viesse busca-la e ele dando desculpas, nisso ela falou: "Eu nem sei onde estou, que lugar é esse, onde fica um ponto de onibus..." E eu com minha Gerusa que se descontrola, falei: moça a estação do metrô é logo ali! Essa mulher me olhou com uma cara tão feia que eu quis sumir no chão. Bem feito para mim! Não sabe segurar uma gerusa, dá nisso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. silvia,

      É assim mesmo, quando a gente percebe já foi.


      Bj.

      Silvia

      Excluir
  3. Murdock deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Segura a gerusa!":

    Eu não sei como consigo me controlar tanto. No meio de conversar me controlo para dar palpites e não tomo decisões de cabeça quente. Tem um ditado que fala algo assim, para nunca prometer ou tomar decisões quando estiver triste, feliz ou com raiva.

    Mas me meter em conversa pra ajudar eu faço sim, essa do ônibus é uma que faço sempre. Ontem mesmo no trabalho vi um cara perguntar ao outro se existia entrega a cobrar nos Correios e eu me meti dizendo que sim, eu mesmo já tinha feito.

    Acho que tudo depende muito de com quem estamos falando.

    ResponderExcluir