domingo, 22 de julho de 2012

Endereçador dos Correios



Aprendi a lidar com um “facilitador” e quero compartilhar com vocês.
Já viram no site do Correios o Endereçador?
Funciona assim: Serve para colocar remetentes, destinatários e AR na correspondência.


Como fazer:

1)  entre no site dos Correios http://www.correios.com.br/
2) Na barra azul clique em Endereçador http://www.correios.com.br/enderecador/default.cfm
Vai abrir uma  janela:   Imagem inline 2


Clique em Versão para Cartas


Imagem inline 3
                                                                                        


Clique em imprimir direto no envelope e embaixo selecione imprimir aviso de AR
E em continuar.
Abrirá outra janela:

Imagem inline 4

Preencha os campos conforme solicitado, coloque o CEP e valide e aparecerá a rua, bairro, cidade e estado, acrescentando os complementos.
Clique em gerar envelope ou gerar AR e imprima!
Fica bonito e elegante...

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Amigo



Hoje é dia do amigo, pelo menos é o que andam divulgando pela net. Para mim dia do amigo é qualquer dia, assim como dia das mães, dia dos namorados e etc.
Daí eu fiquei pensando, pensando nos meus amigos e no final das contas eu descobri que um dos meus melhores amigos é o zelador do meu prédio! Ele é, realmente, meu amigo. está sempre para o que der e vier. Sempre me ajudando. Lembro de quando eu vim morar aqui, foi ele que me deu todo apoio, me ajudou na mudança, me ajudou depois nas arrumações. Cada problema que eu tinha era ele quem me ajudava a solucionar. Quando resolvia comprar alguma coisa, era com ele que eu me aconselhava. Quando a vizinha debaixo cismou de implicar comigo, ele que me ajudava a contornar a situação. E essa mulher cismava ao extremo. Me perseguia mesmo, as vezes eu nem estava em casa e ela estava reclamando de mim. Chegou ao ponto de reclamar das unhas da Pitchula, que o barulho "tic,tic, tic", incomodava a ela. Nossa, foi um terror! E ele sempre contornando, botando panos para evitar mal maior!

Quando meu pai adoeceu, ele  me deu apoio, quantas vezes eu desabafei com ele. Meu pai vinha me ver e ele acolhia meu pai até quando eu chegasse. E ouvia meu velho pai com a maior paciência.
Quando meu irmão ficou doente, ele que me ouvia... Na morte do meu irmão também! Ele conhece toda minha família, ou o que sobrou dela! 

A Pitchula ficou com problemas de saúde por cinco anos e eu só ia trabalhar tranquila por que sabia que se ela passasse mal ele ia me ligar. E chegou a dar remédio para ela em algumas ocasiões. 
É ele que arruma meu ferro de passar quando dá curto. É ele que me ajuda a achar um profissional quando preciso. É ele que faz um furo na parede quando preciso, foi ele quem ajudou a instalar meu armário novo na parede. Estou com vontade de pintar meu apartamento, com certeza é ele que me ajudará. E me ajuda não por dinheiro, me ajuda por amizade mesmo. E eu também tenho muita consideração com ele e no que ele precisar, sabe que pode contar comigo. 

Pensando nisso tudo, avaliando, concluo que eu tenho um grande amigo! Bem perto, ao alcance do interfone!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Medo




Medo


Falar de medo é fácil, domino o assunto... Tenho tantos medos...

Vamos voltar lá na nossa infância? Lembram quando éramos crianças? Quantos monstros debaixo da cama? Era só ficarmos no escuro e pronto nossa imaginação já rolava solta e criava os mais variados monstros. Assim que acendia a luz os monstros desapareciam. O escuro é o desconhecido e a luz o conhecimento. 
E o medo da escola? Nada mais que o medo do desconhecido. Depois quando conhecemos os nossos colegas muda tudo de figura. Pronto, a gente já tinha tomado gosto pela escola. E as crianças querem ir até no fim de semana.
Medo de tentar e falhar, medo da bicicleta, dos patins, de nadar, de enfrentar o publico em uma apresentação da escola.

Conheço uma mulher que desistiu da faculdade a partir do momento que soube que iria ter que apresentar seu trabalho na frente da sala, perante os próprios colegas, aqueles que ela já conhecia, imagina se fossem desconhecidos?

Incerteza, desconhecido, insegurança...

Assim era também naquela época que Jesus apareceu, porque o desconhecimento era grande e aquele homem que levava multidões assustava os judeus, do que seria capaz? Assustava os Romanos, quem era aquele que levantava a turba? Poderia causar estrago? Afinal os judeus estavam acostumados a obedecer aos romanos, claro que por um interesse, mas eram cordatos e pagavam seus impostos em dia. E esses mesmos judeus impunham o medo aos seus subalternos pelo temor a Deus.
E os próprios discípulos tinham medo de tudo. Por mais que Jesus os tranqüilizasse eles temiam. Lembram-se do episódio da tempestade no lago de Genesaré

JESUS ACALMA UMA TEMPESTADE NO MAR
Certo dia, Jesus estava na margem do lago de Genesaré e entrou numa barca juntamente com seus discípulos. E eis que se formou uma violente tempestade no mar e as ondas cobriram a barca.
Mas Jesus estava dormindo. Então os discípulos se aproximaram dele e despertaram-no, dizendo: "Senhor, salvai-nos, pois afundaremos".
Jesus disse-lhes: "Por que tendes medo, homens de pouca fé?". Levantando-se, mandou o vento e o mar se acalmarem e no mesmo instante tudo ficou em bonança.
Admirados, os discípulos diziam: "Quem é este a quem até o vento e o mar obedecem?".
E assim somos nós, homens e mulheres de pouca fé...

Vi uma pesquisa, não sei aonde, que os maiores medos da humanidade são:

ª falar em publico
2º altura
3º insetos e vermes
4º problemas financeiros
5º águas profundas
6ª doenças
7º morte
8º voar
9º solidão
10º cachorro.

A maioria dos medos listados não tem base na realidade e talvez nunca se confirmem (medo de altura, medo de cair – talvez nunca caia nem da cama!)

1) Não é contraditório? Quantas pessoas vão precisar falar em público a vida inteira? E no entanto é o primeiro dos medos...

2) Altura? Eu tenho medo de altura, mas nem por isso deixo de ir em lugares altos, tá certo que se eu puder evitar, eu evito.

3) Insetos e vermes? Por que ter medo?    Um simples inseticida resolve.

Já ouviram uma que explica por que a mulher tem medo de barata? Porque ela detesta a palavra barata... roupa barata, perfume barato e etc...

4) Problemas financeiros. Isso já não é um problema, é uma coisa tão normal, todo mundo tem, já deixou de ser um problema, precisamos é aprender a gastar menos que ganhamos para tentar equilibrar nosso orçamento.

5) Águas profundas? Ué, quem de nós vai praticar mergulho?

6) Doenças? Medo de doenças resolve alguma coisa? O que resolve é a prevenção, o cuidado com a saúde, com a alimentação e exercícios.

7) Morte, já, já falaremos de morte...

8) Voar? Eu já vivi 50 anos e nunca tive oportunidade de voar, por que teria medo? A quantidade de acidentes de carro, proporcionalmente, é muito maior que de avião e nem por isso as pessoas deixam de andar de veículos automotores...

9) Solidão? Medo? Simples é só procurar companhia e tem muita gente precisando de companhia, de conversar, de amigos...

10) Cachorro? É interessante o medo de cachorro. Sabiam que quando a pessoa tem  medo ela despeja adrenalina no sangue e o cheiro dessa adrenalina irrita o cão, por isso que ele ataca?
Quer dizer que o nosso medo vai atrair o ataque!


Pedro andava sobre a água e teve medo e afundou- Mt. 14,22-36

“Naquele dia, saindo Jesus, do local onde aconteceu a 1ª Multiplicação dos Pães, convidou os discípulos a subirem à barca e irem até a outra margem; enquanto de despedia daquele povo. Em seguida subiu ao monte para orar.
Os discípulos seguiram mar adentro para chegar à outra margem. Já se fazia noite alta, quando em alto mar os discípulos avistaram um homem andando por sobre às águas. Ficaram muito amedrontados, dizendo ser um fantasma e, Jesus lhes disse:“ Calma, sou eu, não tenham medo e, Pedro, sempre o mais ousado, disse:- “Então, se é o Senhor mesmo, dá-me a ordem  para ir ao seu encontro:. E, Jesus lhe diz:-“ Vem”. Pedro, então, se atira na água e vai caminhando na direção de Jesus, alucinado de alegria ao se ver andando sobre a água.
Mas, o mar estava agitado e começou a subir a água na sua canela e, atemorizado, teve medo e começou a gritar : - “Senhor, Senhor, salva-me, salva-me”. No mesmo instante Jesus lhe dá a mão e o segura, dizendo: “Homem de pouca fé, porque duvidaste? “ Os discípulos que a tudo assistiam, caíram de joelhos, dizendo :- “Tu és mesmo o Filho de Deus “-

Pedro estava andando sobre as águas, começa a afundar no momento que vacila, que deixa o medo dominar. Que perde a confiança, a fé!

O medo é um alerta para que a pessoa se resguarde, procure soluções, saídas, alternativas, um aviso para que se procure o conhecimento. A luz!

Quando temos medo atraímos o objeto do nosso medo, pois nós o valorizamos, entramos na mesma sintonia do fato que nos causa o medo.

Lembro de um amigo que tinha uma loja em uma avenida movimentada e a vizinha dele, com uma loja do lado e ela morria de medo de ser assaltada, ele nunca foi enquanto isso ela foi quatro vezes em um ano e desistiu da loja, ele fico anos ali...
Quando temos medo de assalto, nós estampamos isso no nosso rosto e logicamente ao mal intencionado isso fica evidente e que o meliante pensa? Se ele tem medo é por que tem valores para esconder.

O espírita não tem medo da morte, (ou não deveria ter) porque tem consciência que a vida não acaba aí, mas que apenas o corpo morre. Quer dizer não tem medo se durante a sua vida fez a coisa certa e não tem receios de nenhum acerto de contas, ou da lei de causa e efeito, lógico.

Para o Espírita, para o Cristão o medo passa a ser de menor efeito, porque ele busca o conhecimento de si mesmo e de tudo que está a sua volta. Procura viver de acordo com os ensinamentos de Jesus e principalmente se ampara na sua fé, que forma um escudo contra as coisas que poderiam lhe afetar.

E sabemos que muitas das coisas que nos acontecem são efeitos – conseqüências- de atos nossos, nessa ou em outras encarnações. Colhemos o que plantamos.

Medo é responsável pela ansiedade – medo do que pode acontecer e muitas vezes nem acontece...
Medo de perder isso ou aquilo e não percebemos que somente se perde aquilo que não se tem, portanto o que não vai fazer falta.

Perder significa abrir espaço para outras aquisições!

Simão Pedro negou Jesus por três vezes por medo!

Os amigos, por medo se calaram.
Pilatos por medo de tomar uma posição lavou as mãos.

Anás, Caifas, com medo do Jesus e da influencia que poderia ter, encaminha-o para a crucificação e Jesus, mesmo sabendo o que lhe esperava não teve medo!

Nascemos sem medo. Preste atenção em um bebê, ele não tem medo de nada. Atira-se do berço, enfia dedos em tomadas, puxa a panela do fogo, escala a estante da sala (e sempre tem quem cuide) Começa adquirir medo com os pais, tios, avós.
Mas esses medos são os medos naturais, medo de advertência, necessários a saúde! Cuidado! Vc pode se machucar! Pessoas centradas deixam as crianças aprenderem, advertem, porém não impedem que as mesmas tenham suas próprias experiências e desenvolvam suas potencialidades.

Assim é o Pai da vida conosco. Ele deixa que as coisas nos aconteçam para  que aprendamos a nos cuidar. Ele mostra os sinais, nos adverte, deixa que fiquemos doentes para que aprendamos a cuidar da nossa saúde.

Deixa que nos magoem para que aprendamos a não magoar as pessoas, para que entendamos o quanto dói o sofrimento. Para aprendemos o que é empatia, a se colocar no lugar do outro e convivermos melhor!

O medo nos escraviza, em Hebreus temos: “e livrasse todos aqueles que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão” Nós deixamos de fazer muita coisa na vida por medo.

Deixamos de arriscar, de tentar novos caminhos, de ir de encontro aos de conhecido e vamos ficando nos mesmos lugares, fazendo as mesmas coisas, no mesmo emprego, no mesmo relacionamento micado pelo temor do novo!

E não começamos outros projetos, os deixamos guardados nas gavetas e nos lamentando: “ e se eu tivesse feito isso ou aquilo? Como seria minha vida hoje?”  “e se eu tivesse mudado meu caminho?, se eu tivesse feito aquele curso, se eu tivesse investido mais em mim, e se ... e se....

O tal do medo nos escravizando e nos prendendo dentro de um quadradinho.

E muitas vezes quando decidimos enfrentar nosso algoz, descobrimos que nem tinha tanto motivo para se temer. Que pode ser muito gratificante e que o trem fantasma é muito mais feio e assustador do lado de fora...

Depois que estamos dentro não é tão complicado assim.
E como os especialistas no assunto nos ensinam a lidar com os nossos medos? Enfrentando-os.

Se temos medo de altura vamos começar a nos imaginar em lugares altos, cada vez mais, um degrau por vez. Lógico que não vamos subir uma montanha e olhar para baixo logo de cara, mas vamos subindo cada vez mais, trabalhando esse medo dentro de nós.

Da mesma forma o medo de nadar, do mesmo jeito, começando com bóias e indo mais além.

Ralph Waldo Emerson, filósofo e poeta disse: “faça aquilo que receia e a morte do medo será certa!”

Enfrentar o que se teme, acender a luz, procurar informações a respeito, abrir os armários as janelas, e se armar de defesas, claro, mas sem deixar que o medo nos impeça de viver.

Temos medo de sermos assaltados? Não vamos facilitar, andando por lugares desertos e com jóias, mas por outro lado não vamos deixar de fazer as coisas, não vamos deixar de sair por medo disso.

Platão disse: “Podemos perdoar uma criança que tem medo do escuro, a tragédia da vida é quando os homens tem medo da luz”

Algumas frases: “O maior erro que vc pode cometer é o de ficar o tempo todo com medo de cometer algum.”

Mas, eu desconfio que a única pessoa livre, realmente livre, é aquela que não tem medo do ridículo. L.F. Verissimo.

O sofrimento é passageiro, desistir é para sempre.



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Moradores de rua acham (e devolvem) vinte mil reais

Um casal de morador de rua, ou melhor em situação de rua, (que é o tal do politicamente correto) achou vinte mil reais no bairro do Tatuapé em São Paulo na madrugada de hoje (9 de julho). Eles ouviram um alarme disparar e foram ver o que era, acharam um pacote com dezessete mil em espécie e pacotes com três mil reais em moedas, eles se dirigiram a uma empresa perto e pediram para o vigia chamar a Policia Militar, no 190, quando a Policia chegou eles entregaram o dinheiro e ao perguntarem ao homem por que ele estava devolvendo, visto que tinha achado ele respondeu que tinha lembrado da mãe dele e o que ela tinha lhe ensinado e o que ela ensinou? Que ele não poderia ficar com nada que não era seu! 
O que era para ser uma coisa corriqueira, normal, passa a ser uma coisa digna de noticia e louvores. Minha mãe também ensinou isso, a sua mãe não ensinou também? Na minha ideia todas as mães ensinam isso aos filhos, mas não é isso que acontece hoje em dia, muitas mães ensinam que os filhos podem tudo, podem até ficar com o que é dos outros desde que os outros não estejam vendo...Infelizmente vejo ao meu redor pais que deixam os filhos fazerem o que querem, como querem, com quem quiserem. Sem se preocuparem que isso vai refletir lá na frente quando forem adultos. É de pequeno que se torce o pepino, já diziam os antigos e os conscientes.
Aiaiai,  belo exemplo de um casal que não tem nem uma casa para morar, porém tem um bem mais precioso, a dignidade, o caráter e com certeza serão recompensados por isso. A vida cobra, mas a vida também recompensa.

sábado, 7 de julho de 2012

O estrangeiro


Recebido por email

Poucos anos depois que eu nasci, meu pai conheceu um estranho que era novo para a nossa pequena cidade. Desde o início, meu pai ficou fascinado com este recém-chegado encantador e logo o convidou para morar com nossa família. O estranho foi rapidamente aceito e estava no nosso meio a partir de então.

Como eu cresci, nunca questionei seu lugar em minha família. Na minha mente jovem, ele tinha um nicho especial. Meus pais eram instrutores complementares: minha Mãe ensinou-me as diferenças entre o bem e o mal, e meu pai me ensinou a obedecer. Mas o estranho ... Ele era o nosso contador de histórias. Ele nos manteria encantado por horas a
fio com aventuras, mistérios e comédias.

Se eu quisesse saber alguma coisa sobre política, história ou ciência, ele sempre soube as respostas sobre o passado, entendia o presente e até parecia capaz de prever o futuro!  Ele me fez rir, e ele me fez chorar. O estranho nunca parou de falar, mas o pai não parecia se
importar.

Às vezes, minha mãe se levantava silenciosamente enquanto o resto de nós ia ouvir o que ele tinha a dizer, e ela ia para a cozinha buscar a paz e tranqüilidade. (Eu me pergunto agora se ela orava para o estrangeiro sair.)

Meu Pai governou nosso lar com certas convicções morais, mas o estranho nunca se sentiu obrigado a honrá-los. Profanação, por exemplo, não era permitido em nossa casa.

Depois que nosso visitante ficou mais tempo ele tornou-se mais ousado no entanto, e até disse palavrões que queimaram meus ouvidos e fez meu pai, minha mãe e eu corar. Meu pai não permitiu o uso liberal de álcool, mas o estranho encorajou-nos a experimentá-lo regularmente.
Ele ofereceu cigarros e charutos afirmando que nos deixaria mais viris. Ele falou livremente (muito livremente!) sobre sexo. Seus comentários foram por vezes, flagrantes, as vezes sugestivos, e geralmente embaraçosos ..

Agora sei que meus conceitos iniciais sobre relacionamentos foram influenciados fortemente pelo estranho. Vez após vez, ele se opôs aos valores dos meus pais, mas ele raramente foi repreendido... E nunca pediu para sair.

Mais de 50 anos se passaram desde que o estranho veio morar com nossa família. Ele se acha sempre certo, mas não é tão fascinante como ele era no início. Ainda assim, se você pudesse entrar na casa de meus pais hoje, você ainda irá encontrá-lo sentado no seu canto, à espera de alguém para ouvi-lo falar e vê-lo mostrar suas fotos.
Seu nome ?....

Nós apenas chamamos de 'TV'.



Ele tem “descendentes”, seus nomes: Computador, telefone celular e mais recente: Tablet!.