sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Empurrar com a barriga















Tenho horror a pessoas procrastinadoras! Palavra horrorosa também. O clássico "empurrador com a barriga".
Todos nós temos a tendência a relaxar o time, deixar para depois. Depois eu vejo isso, depois eu ligo, depois eu resolvo e esse depois nunca que chega! 
Não vou dizer que se pudesse me esquivar de determinadas coisas eu me esquivaria. Mas se isso resolvesse tudo bem, mas não resolve e na próxima "virada" nós vamos encontrar com as mesmas coisas que nos esquivamos e possivelmente agravadas.
empurrar com a barriga, além de não resolver, agrava os problemas.
Meu falecido marido tinha a mania de falar: vamos dar tempo ao tempo. Dizia isso quando não queria resolver, claro. Eu tinha "cólicas" quando ouvia isso. 
Ainda bem que sou diferente, ainda bem até para ele. Quando tenho algo chato para resolver procuro fazer logo que é para me livrar definitivamente da situação. Quando ele morreu eu tinha resolvido várias situações antes, a minha sorte, pois se tivesse dado tempo ao tempo teria me visto em "papos de aranha". 

Se tivesse dado tempo ao tempo estaria correndo atrás do tempo perdido até hoje...

Uma historinha do meu marido para ilustrar o texto; O irmão dele tinha um consórcio de um carro, como não conseguiu pagar passou para meu marido e eu falava: passa para seu nome. E ele enrolando... O irmão dele morreu, e eu falava, procura o consórcio para resolver isso, e ele protelava, e pagava...
Quando terminou o consórcio ele descobriu que o seguro cobria o falecimento do irmão, quitando automaticamente. Não precisava ter pago durante tanto tempo. Porém descobriu também que não podia retirar o carro por que estava no nome do irmão e como o inventario estava rolando dependia da cunhada e  do Juiz pois o irmão dele tinha deixado filho menor de idade, imaginem como foi complicado liberar esse carro? Tudo por que ele "empurrou com a barriga" Uma situação que poderia ter sido simples foi se agravando cada vez mais por causa da protelação.


Empurrar com a barriga, procrastinar, para mim soa como MEDO de enfrentar as situações, tipo criança que coloca as mãos sobre o rosto pensando que assim está escondida.Que ninguém está vendo. Se eu não vejo, ninguém me vê! Bem infantil mesmo.

Assim, empurrando com a barriga esquecendo do problema parece que ele está resolvido ou se resolvendo sozinho. 
E quando vamos perceber o "bicho" se tornou mais feio e mais cabeludo...


Nenhum comentário:

Postar um comentário