sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Água e sua importância na nossa vida.

Eu sempre me lembro de uma amiga que morreu de câncer nos ossos. A pessoa com esse tipo de câncer  não pode se mexer, qualquer movimento pode quebrar algum osso e ele não vai mais se solidificar. Complicada a vida. Essa mulher tinha uma fibra, invejável. E ela dizia que a maior vontade que tinha era de tomar um banho, com a água escorrendo pelo corpo, que sentia muita falta disso, pois seus banhos só podiam ser "de leito". Um dia, as filhas e os genros envolveram ela num lençol e levaram-na para debaixo do chuveiro. Como ela ficou feliz! 
Cada vez que estou meio deprimida lembro dessa mulher; para servir como exemplo de como coisas tão simples podem fazer A diferença. Como é bom tomar um banho, deixar a água lavar todas nossas frustrações e levar ralo abaixo. 
Nós temos o costume de procurar satisfação em coisas tão distantes, em possuir algo fora do alcance, em conquistas materiais e não vemos que as coisas mais simples e bem próximas podem conter nossa maior satisfação! 
A água está tão presente em nossa vida e tão pouco valorizada. Somos gerados dentro de uma bolsa d'água, nascemos, primeiro banho, batismo com água e assim vamos crescendo. Banhos de mangueira, que delicia. Piscinas, riachos, cachoeiras, o mar, será que é salgado mesmo? Vamos experimentar! Nossas lágrimas tão "molhadas", tão doloridas... 
Lembro que quando era pequena não dávamos tanta importância para ela, achávamos que nunca ia acabar, lavávamos até a calçada com a mangueira. Hoje ficamos horrorizados se vemos alguém fazendo isso. Pelo menos aprendemos a ter consciência. Eu tive uma infância boa, nadei em rio, (nadar é modo de falar, até hoje não sei nadar), tomei banho de cachoeira, fiz barquinho para soltar na enxurrada. Brinquei muito em enxurrada, até perdi a chave de casa uma vez, mas consegui achar!
Chuva, como sentimos falta dela alguns dias atrás. Aquele tempo seco, esturricado, aquela poeira suspensa, tudo empoeirado, até nós mesmos. Agora já choveu, já passou, pronto esquecemos. Acho que nosso maior problema é esse: a memória curta. Esquecemos facilmente, muito facilmente.
Precisamos refrescar nossa memória e ter sempre em mente  que a água pode acabar e que nós precisamos dela para sobreviver nesse mundo e temos a responsabilidade de cuidar da preservação dela e do nosso meio ambiente. E não é só economizando agua, mas também é consumir menos e só o necessário de qualquer coisa, pois qualquer coisa precisa de água para ser produzido. Simples!

4 comentários:

  1. Acho que gasto mais água bebendo mesmo, tomo banho tão rápido que mal dá pra curtir.

    Aliás, acho que justamente por sentir satisfação em pequenas coisas algumas pessoas me criticam tanto. Acho que pra elas nada é suficente, nunca.

    ResponderExcluir
  2. Carissimo,


    Sabe por que as pessoas o criticam? Por que vc é o que é e acabou. Isso incomoda as pessoas.
    Elas estão acostumadas a "fazerem tipo", a usarem máscaras e vc não precisa disso.

    Você é capaz de assumir que as coisa pequenas podem ser boas e as pessoas estão cada vez mais insatisfeitas; que contraste, neh?

    ResponderExcluir
  3. Silvia Dutra / Sinhá22 de outubro de 2010 10:42

    Lindo o seu texto xará, e super verdadeiro e importante.
    Também nadei em rios, tomei banhos de cachoeira, brinquei na chuva e até hoje, de vez em quando, ainda faço isso, só pelo prazer que me proporciona. E sempre que as tensões da vida começam a ficar insuportáveis entro no mar e fico quieta, deixando aquela água toda lavar e levar minhas angústias embora. Sempre funciona. Amei seu texto, parabéns. Beijos pra você e pra Pitchula. Estive no Brasil recentemente e minha Loba está com problema renal, estava bem mal, mas agora já melhorou. Pra uma pastora alemã 17 anos pesam...

    ResponderExcluir
  4. Xara,

    eu não vou lhe perdoar...
    Vc veio aqui no Brasil e nem me disse nada.

    Nossa, uma pastora com 17 anos???? Muito dificil ver.

    Bjsss

    ResponderExcluir