domingo, 3 de janeiro de 2010

Histórias de portaria

Foto: Divulgação

Ontem a noite o porteiro "noturnico" faltou. A empresa mandou um que não conhecia nada por aqui. Na hora que ele chegou viu eu com a Pitchula entrando no prédio, e disse para o zelador: "Só vou deixar entrar quem eu ver sair..." Ainda brinquei dizendo que eu e a Pi estávamos garantidas.    Pois bem, quando foi lá pelas onze e meia da noite, desci com a Pitchula pra o último xixizinho dela, ele estava "ferrado" no sono. Passei a mão pelo balcão e abri as duas portas, faz um barulho considerável, pensei que ele ia acordar, que nada...Coloquei a mão nele para chamá-lo, pois nem o nome dele eu sei. Acordou meio "onde estou, quem sou..."   Daí eu falei para ele: Presta atenção, eu estou saindo mas volto já! Sai, a Pitchula fez o xixi e eu voltei, isso não demorou nem três minutos, ainda estava chovendo, fomos bem rápido. E qual não foi a surpresa quando o "dito cujo" não deixou eu entrar! Eu já ia ficando nervosa, ainda disse, pelo interfone,  que ele estava de brincadeira, que não era possível que ele estivesse falando sério que não sabia quem era eu! A nossa sorte é que tinha um outro morador na portaria que me identificou. 
Só comigo acontece essas coisas. Depois eu conto outras. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário