segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Dona Elza

Dona Elza foi a nossa vizinha durante muitos anos. Quando mudamos para a Av Brigadeiro Luis Antonio, ela morava lá com o marido, sr. Theófilo. Eles já eram velhos. Não tiveram filhos, ela teve três abortos, se tivesse tido os filhos seriam 7 (sete) duas gravidez de gêmeos e uma de trigêmeos. Os dois eram europeus, ele alemão, meio nobre e ela era húngara, mais simples, mas arrogante feito uma coisa. Tinha um preconceito racial forte, minha segunda mãe era mulata, então já viu neh?
As casas eram aquelas antigas que se juntavam no fundo, as escadas da cozinha das duas se encontravam. A dona Elza chamava o marido por Théo. Era comum ela parar no alto da escada e gritar: ---THÉOOOOOOOOO... como ele tinha a oficina na garagem, ele corria atende-la. Uma das primeiras coisas que minha irmã aprendeu a falar foi "théo".
Dona Elza tinha vários gatos, as vasilhas dos gatos eram lavadas na pia da cozinha, o prato da empregada no tanque, sente?
Théo fazia tudo, compras, pagamentos, levava a mulher no médico, ela não sabia nem o valor do dinheiro. Era uma época de cruzados, cruzeiros novos, essas coisas, ela tinha perdido a noção do dinheiro. Ele se dava bem com todo mundo, conversava, tinha amigos, ela não. Mal cumprimentava a gente. Não gostava de ninguém. Eles não tinham mais familia nenhuma, só uma sobrinha dele, de segundo grau que morava no Rio de Janeiro.
Um dia Théo foi a farmacia e não voltou, teve um enfarte e morreu. Todo mundo pensou que a dona Elza não iria sobreviver mais que três meses. Com 83 anos, sem saber nadica de nada, dependente do marido para tudo. Ninguém apostava que ela sobreviveria, achavam que ela ia se atirar no túmulo com ele. Eu fui a única a dizer que ela ia longe. E foi! Vendeu o carro, aplicou a grana, desfez da oficina dele, alugou a garagem e viveu mais 18 anos, aprendeu a contar dinheiro e a fazer tudo sozinha. Dezoito anos e com saude! Ela morreu no começo desse ano com 101 anos por que pegou uma pneumonia.



* Agradecendo ao anônimo observador, coloquei o H na palavra húngara. que andei comendo. Pior é que agora fiquei na dúvida da nacionalidade dela, será que era húngara mesmo ou romena?

Nenhum comentário:

Postar um comentário