terça-feira, 12 de maio de 2009

Presentes

Lendo o post do Junior, fiquei pensando no ato de comprar um presente. Eu gosto de dar presentes, mas não aqueles por obrigação, gostoso é sair entrar em lojas e lembrar das pessoas. Curtir o momento da escolha. Imaginar a pessoa com o objeto, se parece com ela, o que ela vai fazer com o presente. Como ela vai fazer, como ela vai usar. Eu gosto de, passado um tempo, ver a pessoa fazendo uso do presente. É muito bom. Depois no ato da entrega do presente. Os olhos brilhantes da pessoa. As vezes não acertamos, mas quando compramos com todo o carinho, mesmo não sendo um presente valioso, as pessoas gostam. A diferença é o carinho, o amor que depositamos no ato da escolha do presente. E quando temos a oportunidade de "casar" esse carinho com o carinho de alguém que faz presentes como a criadora, é certeza que agradaremos a pessoa presenteada, pois o objeto vai "impregnado" de amor.
Um dos melhores presentes que recebi na minha vida foi uma muda de ameixa, aquela cor de vinho, que parece um cajuzinho. Um delicia, todo ano, na época da frutificação, eu lembrava com tanto carinho da Dona Fanny. E com muito sabor. Primeiro na florada, aquele perfume, depois ao me deliciar com as frutinhas. 

Se quiserem me dar um presente, estou louca por uma caixa de chá! (Não pode ser muito grande, pois meu espaço é pequeno.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário