segunda-feira, 31 de março de 2008

HOMEM GRÁVIDO




"Thomas Beatie, de 34 anos, está grávido há cinco meses e a criança deve nascer em 3 de julho deste ano. Ele é legalmente um homem, mas sexualmente é um transgênero. Após cirurgia de reconstrução dos órgãos sexuais, Beatie decidiu manter o órgão reprodutivo feminino dele. A mulher de Beatie teve endometriose e por isso teve que fazer uma cirurgia de histerectomia que aconteceu há 20 anos. Beatie tomava hormônios masculinos, mas decidiu parar quando os dois resolveram que teriam um filho e que ele seria responsável pela gestação."
Essa história é muito louca... Eu tentava explicar para uma amiga e mais eu achava louca, eu não conseguia que ela me entendesse, afinal, é um homem, uma mulher? Terceiro, quarto, ou outro sexo? Já pensou a cabeça dele, ou (dela?), como fica? Se sente um homem, mas é uma mulher grávida...E depois? Será pai? ou mãe? Não existe aqui preconceito da minha parte, mas tentar entender como fica a cabeça da pessoa, como eu me sentiria numa situação dessa!
"Apesar do fato de minha barriga está crescendo com uma vida nova dentro de mim, sou estável e confiante quanto ao homem que sou. No sentido técnico, eu me vejo como meu próprio substituto, entretanto minha identidade de gênero como macho é constante" explicou ele.

Nasceu o nenêm!!!! É uma menina !

Imagem


terça-feira, 25 de março de 2008

DIVIDIR A COMPANHIA COM CÃES

Por causa de um email comecei a pensar em como é engraçado e complicado os namoros de pessoas que tem e convivem com cães. Ainda mais nesse tipo de convivência tão próxima como a minha e da Pitchula. Cães são ciumentos, não gostam de dividir seu dono com outra pessoa, ainda mais se existe algum relacionamento emocional ou sexual. Um veterinário me contou que perdeu a última namorada por causa dos cães, eles não a deixavam chegar perto dele, dormir junto então era uma luta, afinal eram dois labradores e eles dormiam na cama dele. Apesar que aí também acho um certo exagero, grandes...
Eu tive um namorado, o qual, diga-se de passagem, amei muito; ele disse uma vez que a Pitchula precisava se adaptar a ele, se resolvêssemos ficar juntos mesmo, mas retruquei que ele é que tinha que se adaptar e não ela. E é por aí mesmo, não peça para quem tem cão escolher, você pode não gostar da resposta...
Outro dia eu estava lá no HOVET-USP esperando e observando um casal, era nítido que a moça estava lá por obrigação, para acompanhar o namorado e o cão, ela não conseguia disfarçar a insatisfação. Se para mim era visível, imagina para o namorado que convive com ela. Chato isso...
Por mais que a gente ame um companheiro, ele tem que gostar das principais coisas que a gente gosta, se não gosta da nossa mãe, já é ruim, mas ela nem sempre convive na mesma casa com a gente, mas o cão é nosso companheiro, e era único até aparecer a pessoa. Complicado!
Lembrando que tem todos aqueles incovenientes: pelos, não poder ir viajar, dormir fora é dificil, passeios com os animais, idas ao veterinário, no meu caso, constante, pet shop, e outras.
E a situação inversa também é muito complicada: como se separar do parceiro sem perder a "guarda" do cão? Quando eu era casada, algumas vezes pensei em separar e repensei no mesmo instante por causa da Pitchula e do gato (de quatro patas...) Desistindo em seguida, eu não tinha como ir embora e carregar os bichos, então ficava.

domingo, 23 de março de 2008

ANSIEDADE, SEU NOME É SÍLVIA

Estou super ansiosa, entrei na reta final de um projeto. Será que vai dar certo? É só o que eu me pergunto...
O interessante é que quando a roda começa a girar não tem como parar e tudo gira junto. Todas as coisas que estavam emperradas começam a engrenar, movimentando a vida. E eu no meio desse redemoinho tentando me equilibrar e não perder nem dos pontos, que possam ficar soltos.
Não, eu não estou tão ansiosa assim...mesclo momentos de insegurança com momentos de euforia, junto com as dúvidas e como colocar em prática as necessidades básicas. Eu sei que tudo vai dar certo; Deus não me desampara. Tenho fé! Mas eu tenho que dar conta de tudo sozinha, não ter uma pessoa para dividir complica. Por outro lado tenho tantas pessoas torcendo a favor...

quarta-feira, 19 de março de 2008

BOLETIM MÉDICO

Pitchula está muito bem. Estou em estado de graça. O tanto que pedi por ela, agora é o tanto que tenho que agradecer. Os últimos exames dela deram resultados mais que satisfatórios, são índices de uma cachorra 'quase' normal. A úreia estava em 96, o aceitável para uma cardiopata é até 100 (ela já teve mais de 300), a creatinina em 1,4 sendo aceitado até 1,5, para quem já teve 2,6 imagina? Ela engordou, até mais do que deveria, está com 6,5kg, não é bom para o coraçãozinho dela, já "capenga". A médica dela atual, a Dra. Denise, está confiante. Suspendeu alguns remédios e espaçou a aplicação de soro. Aliviou. O Hematócrito dela está em 52%, a referência é de 36 a 54%, percebe como está excelente? Para ela que já teve 29%??? Eu sai da USP querendo dançar e cantar de felicidade; é muito bom quando os seus esforços conseguem bons resultados.

IMPOSTO DE RENDA

Passei horas fazendo minha Declaração de Imposto de Renda. Eu precisava entregar uma cópia no banco, por isso a pressa de fazer e entregar, por que eu como boa brasileira também deixo para o final. Tudo certinho, conferido, reconferido, fiz a cópia de segurança, gravei e tentei enviar, só tentei. Dava um erro, um tal de C18, que dizia que o meu endereço não era o mesmo que a Receita tinha. Como assim??? Se eu importei os dados da Declaração do ano passado, como não conferia? Não tem lógica. Meia noite, não conseguia entender as "claras" explicações da página da Receita, ligo no número da receita que vai redirecionando e perco a paciência. Deixei para hoje, converso com um, com outro e me falam que o pessoal está tendo dificuldade para enviar. Mas eu preciso dessa cópia, tento hoje de novo, quem sabe vai... num foi...mesmo erro. Ligo na Receita, converso com a atendente que me explica que esse erro está sendo comum. Me explica como fazer, digita a opção 'atualização de endereço = sim' (o que é mentira, por que não estou atualizando nada, é o mesmo) e gravo de novo e transmito. Ahhhh foi, transmitido. Agora vou tirar a tão necessária cópia: tiro, e o que tem na cópia???? N A D A. Isso mesmo, não tinha nada, minha declaração foi em branco, sumiu todos meus dados, não acho a cópia de segurança e nem a declaração preenchida, só os dados iniciais. Só isso...rendimentos: zero...Ligo desesperada. Nem a atendente sabe me explicar o que aconteceu. E nem sabe dizer o que eu deveria fazer. Sei que tive que fazer uma Retificadora e fazer tudo de novo. Eu tinha acabado de comer alguma coisa depois de horas em jejum, deu uma embolada no estômago! Para ser sincera, minha vontade era chorar, mas eu precisava dessa cópia, então refiz tudim...

domingo, 16 de março de 2008

SUFOCO

O momento em que estamos juntos é interminável...Nossos corpos estão tão unidos que posso sentir as batidas do seu coração. Nossa respiração confunde-se com a do outro...Nossos movimentos são sincronizados... indo e voltando... para frente e para trás ... As vezes pára, e então, quando nos cansamos da mesma posição, nos esforçamos para mudar, mesmo que seja só por pouco tempo. O suor de nossos corpos começam a fluir sem nada que possamos fazer.
Um calor enorme parece que nos fará desmaiar...Uma força ainda maior nos faz ficar ainda mais colados um ao outro e, quando não agüentamos mais segurar...Uma voz ecoa em nossos ouvidos:
" Estação Sé, desembarque pelo lado esquerdo do trem"

PORQUE CÃES NÃO VIVEM TANTO QUANTO AS PESSOAS

(Texto que recebi pela Internet, sem autoria)

Porque cães não vivem tanto quanto as pessoas

Sou veterinário, e fui chamado para examinar um cão da raça Wolfhound Irlandês chamado Belker. Os proprietários do animal, Ron, sua esposa Lisa, e seu garotinho Shane, eram todos muito ligados a Belker e esperavam por um milagre. Examinei Belker e descobri que ele estava morrendo de câncer. Eu disse à família que não haveria milagres no caso de Belker, e me ofereci para proceder a eutanásia para o velho cão em sua casa.
Enquanto fazíamos os arranjos, Ron e Lisa me contaram que estavam pensando se não seria bom deixar que Shane, de quatro anos de idade, observasse o procedimento. Eles achavam que Shane poderia aprender algo da experiência.
No dia seguinte, eu senti o familiar "aperto na garganta" enquanto a família de Belker o rodeava. Shane, o menino, parecia tão calmo, acariciando o velho cão pela última vez, que eu imaginei se ele entendia o que estava se passando. Dentro de poucos minutos, Belker foi-se, pacificamente. O garotinho parecia aceitar a transição de Belker sem dificuldade ou confusão.
Nós nos sentamos juntos um pouco após a morte de Belker, pensando alto sobre o triste fato da vida dos animais serem mais curtas que as dos seres humanos. Shane, que tinha estado escutando silenciosamente, saltou: "Eu sei porque." Abismados, nós nos voltamos para ele.
O que saiu de sua boca me assombrou. Eu nunca ouvira uma explicação mais reconfortante.
Ele disse: - "As pessoas nascem para que possam aprender a ter uma boa vida, como amar todo mundo todo o tempo e ser bom, certo?" o garoto de quatro anos continuou... "Bem, cães já nascem sabendo como fazer isto, portanto não precisam ficar por tanto tempo."

sábado, 15 de março de 2008

BLOG

O que me levou a começar a escrever um blog? Eu gosto de escrever. Gosto da Internet. É mais fácil escrever um Blog do que um diário; acaba existindo um incentivo a mais para mim.
Dos meus amigos, minha família, ninguém lê meu Blog. Ou seja, ele é meu e no máximo quem lê são pessoas que vieram aqui por outro motivo, não exatamente para ler o que eu escrevo.
Sinceramente? Não estou em busca de "audiência", não quero lugar em ranking, não almejo ganhar dinheiro com ele, não faço questão de ser linkada. Nem comentários faço questão.
Sabe como é? Tem uma frase que me norteia: "o pensamento dos outros aos outros pertence."
Se vierem aqui, gostarem do que eu escrevo e quiserem falar comigo: "ótimo"; se a única finalidade for me agredir, tempo perdido, eu não recebo o "presente" e o presenteador vai ter que ficar com ele. Como a maior parte do tempo escrevo contando sobre a Pitchula, já aconteceu de receber email pedindo ajuda, passa a ser uma responsabilidade e tanto; como ajudar alguém que não conhecemos e que estamos distante? É uma sensação de impotência muito grande. Mas por outro lado é bom saber que podemos ser útil a alguém.
Já li orientações de como fazer seu blog "bombar", tipo: criar polêmicas, fazer entrevistas, inventar comentários, e outras coisitas mais. Não quero meu blog "bombando".
Quero é chegar daqui um tempo e ao lê-lo pensar: "nossa, como eu mudei, como eu melhorei na forma de pensar, de escrever; eu evolui!"

ORQUÍDEAS



Hoje eu fui na exposição de orquídeas, no bairro da Liberdade.
Eu sempre fico encantada com tanta beleza. Como pode ter tanta variedade de formas, de cor, de tamanho. Eu preciso comprar uma máquina digital, tirei umas fotos com o celular, mas ele não é fiel a tanta formosura. Eu costumo ir todo ano e não enjoo, parece que sempre é a minha primeira vez. Pareço criança tal meu encantamento. Já tive algumas orquídeas, no rancho tinha árvores que eram cobertas por várias, chegava a primavera e era uma festa de cor e perfume. Depois, na primeira enchente, elas ficaram cobertas pela água mais do que poderiam aguentar. Morreram. Como eu senti...Consegui cultivar mais algumas, sempre em árvores. Depois que vendi o rancho, o cara que comprou, derrubou o ingá que servia de suporte a elas, lamentei, mas fazer o que, gosto é gosto.

sexta-feira, 14 de março de 2008

CUBA LIVRE?

Li a notícia de que o novo governo cubano de Raúl Castro, liberou a venda de computadores, DVD, e outros aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos. Será mesmo o ínicio de uma CUBA LIVRE?

domingo, 9 de março de 2008

VALORIZAÇÃO FEMININA

Valorização Feminina
Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo: 'olha, não dá mais'.
Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?
Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: 'mas agora eu to comendo um lanche com amigos'.
Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele.
Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não volta pra mim?
Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.
Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito.
Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve.
Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos e filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi que eu tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim. Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.
Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar.
Resultado disso tudo: silêncio absoluto.
O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher demais para ele.

Ele quem mesmo?

Martha Medeiros

PACIÊNCIA


"Paciência (Texto de Arnaldo Jabor)
Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara. Por muito pouco a madame solta palavrões e berros. E o bem comportado executivo? O "cavalheiro" se transforma numa "besta selvagem" no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar... Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a esposa virou uma chata, o marido uma "mala sem alça". A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência dos calmantes está cada vez mais em alta. Qual é a finalidade de sua vida? Onde você quer chegar? Está correndo tanto para quê? Por quem? Seu coração vai agüentar? Se você morrer hoje de infarto o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar? Será que você conseguiu ler até aqui? Respire... Acalme-se...O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência... "



Eu sempre digo: Não peça Paciência para Deus, Ele não dá paciência de mão beijada, Ele dá meios para nós conquistarmos a paciência, e sabemos muito bem que tipos de meios são esses; a fila do banco, o trânsito de São Paulo, a atendente mal humorada, o Call Center, (esse é um excelente meio para adquirirmos a tal virtude) e outros tantos...


segunda-feira, 3 de março de 2008

APRENDER SEMPRE

Estou em um novo processo de aprendizado; como lidar com um cão surdo. É sério. Pitchula está cada vez mais surda, antes eu pensava que era uma surdez seletiva, ou que ela fazia uma certa manha, (ouvidos moucos). Mas agora, depois de muitos teste, chaves da porta, assovio, chamar de todos os modos e principalmente: barulho de panela; ela já não reage a nada. As vezes quando eu bato palmas, ela ouve. Tem suas vantagens; som de fogos não a incomodam mais. Mas, sempre tem um mas; como se fazer entender por uma cadela que não escuta? As vezes ela está andando e não me vê ao lado, por que estou mais atrás, já fica meio perdida. Ela não ouve quando tem perigo. Numa dessas noites passamos por um cão que rosnou para ela e ela nem percebeu. Barulho de carro, de televisão, eu sempre deixo a televisão ligada para ela quando eu saio, e agora, de que adianta isso? Ela nunca assistiu televisão, era só o som que fazia companhia para ela. Fico preocupada em deixá-la sozinha, mas não tem jeito. Preciso trabalhar. E agora que a visão dela começa a diminuir? Que será que ela sente? Eu me sentiria insegura, perdida. Sem ouvir e vendo menos. Meu Deus proteja a minha pequena viralata!

sábado, 1 de março de 2008

ACORDANDO


Eu acordo cedo, não consigo ficar muito na cama. Mas a minha despertadora extra oficial exagera.

Ela não voltou ao horário normal, continua no de verão, ou seja, uma hora adiantada...E nem se incomoda que eu esteja de férias ainda. Ela lambe que lambe, que lambe, me sinto um filhotão! Já viram quando a cadela tá com filhotinhos e faz uma limpeza nos bichos, aquele "banho de língua"? Pois é, ela acha que eu sou um filhotão e dá-lhe lambidas, não existe remela que resista, eca... E se eu enfio o rosto no travesseiro ela enfia a cabeça por baixo e vai com o focinho abrindo caminho, sabe aquele nariz gelado? Assimmm... Não tem jeito, tenho que acordar na marra, enquanto ela não me vê bem desperta, não sossega. Levanto dou os primeiros remédios e depois ela desce da cama, se ajeita na caminha dela, e? Dorme. E como dorme, de roncar...Parece que como ela já me acordou, pode ficar tranquila que eu velarei pelo sono dela. Será que é isso?