segunda-feira, 24 de setembro de 2007

AHHHHHHH....




Que alívio!


Pitchula enfim teve uma melhora significativa nos exames, a melhora clinica já era evidente, mas precisava a confirmação dos exames. A uréia caiu para 117, sendo que estava em 220, a creatinina que estava em 2,6 diminuiu para 1,7. A fosfatase alcalina diminuiu para um terço do que estava! Isso quer dizer que os rins estão filtrando melhor e a função hepática também melhorou.
Está certo que ainda precisa de atenção, está certo que tem que ser fazer a fluidoterapia, mas por outro lado dá para dar uma respirada e ter certeza que o tratamento está dando resultado. Ela já tem apetite, come sozinha, apesar que continuo dando papinha para ela, tem que garantir... Voltou a me acordar de manhã! Até no domingo que eu estava de folga...
Quero agradecer a todos pelo apoio, por me ouvirem, por tentarem ajudar no que é possível.
Muito obrigada!

sábado, 22 de setembro de 2007

A CIDADE DO SOL



Acabei de ler " A cidade do sol" de Khaled Hosseini. Comecei na quinta feira, tentei enrolar para demorar a acabar, não consegui.
Como "O caçador de pipas" a leitura é envolvente e não consegui parar de ler! Eu adorei! E olha que eu tinha imaginado que a história era diferente...

DNA

Eu não acompanho novela, não tenho tempo nem disposição para isso. Mas vejo sempre alguma coisa, seja de passagem, seja em jornais ou revistas. O que tem me incomodado muito é ver que em pelo menos três novelas da Globo existe fraudes em DNA. Pergunto: como se posicionam os laboratórios que realizam esses exames? Como eles ficam quietinhos sabendo que, mesmo ainda hoje em dia, muitas pessoas acreditam piamente nas novelas. Ou ainda; será que as novelas traduzem a realidade? Será que é tão fácil assim "comprar" ou enganar um laboratório?

domingo, 16 de setembro de 2007

FORÇA


Eu sou uma pessoa forte!


Sou nada... finjo ser e de tanto fingir acabei me convencendo disso!

As pessoas acreditam que eu sou forte, afirmam isso, e eu vou no embalo, de tanto ouvir que sou "forte", vou me tornando cada vez mais.

Por outro lado é muito ruim isso, por que eu tenho minhas fragilidades, minhas inseguranças, minhas fraquezas, e quando estou assim, assim não tenho quem me apoie, por que as pessoas acreditam tanto que sou forte que talvez achem uma heresia me oferecerem um ombro! É muito comum eu ouvir: --A Sílvia? Ela é forte, vai se sair bem dessa!

Então vai virando um círculo vicioso, pois já que não tenho quem me dê apoio quando preciso, me viro sozinha, e vou procurar forças lá no fundo, e mesmo que não tenha essa força, tenho que me superar e sair dessa!

Eu estou sempre ouvindo as pessoas, dando apoio, conselhos que nem sempre são seguidos, ajudando-as, aberta. Mas eu, quando preciso, tenho que pedir e por incrível que pareça, as pessoas sempre estão ocupadas demais, ou não tem estrutura nem para me ouvir, o que já ajudaria muito!

Ainda bem que Deus está sempre disponível!

domingo, 9 de setembro de 2007

LEALDADE










Essa palavra é tão bonita...





Mas, mais bonito ainda é o que ela significa! Ela passa a ser mais importante que o próprio amor, pois podemos ser leais até a quem não nutrimos tão nobre sentimento. Somos leais aos nossos princípios, leais até a aquele chefe horroroso! Eu prefiro que a pessoa seja leal a mim acima de qualquer coisa. Amor é relativo, ninguém ama ninguém 365 dias por ano, mas lealdade tem que ser constante! Podemos brigar, ficar com raiva um do outro, mas se a lealdade perdurar, ainda temos chances de sermos felizes! Porém mesmo amando você não for leal, aí meu amigo, não sobra esperança, o respeito acaba e com ele a chance do perdão!

domingo, 2 de setembro de 2007

9 DE SETEMBRO - DIA DO VETERINÁRIO


Nessa semana que comemoramos o dia do veterinário, eu gostaria de tecer alguns comentários:
Frequento o Hospital Veterinário da USP desde novembro de 2005, minha cachorra é cardiopata. Nesse último mês de julho ela teve uma crise renal e hepática, e desde então tenho ido com mais frequência, pois ela tem feito Fluidoterapia e tendo esse problema no coração é aplicado muito lentamente, ou seja, eu fico com ela de sete a oito horas nesse hospital.
Ficando tanto tempo, acompanho vários casos. Mesmo que eu não queira, ouço as consultas, os proprietários, veterinários e demais funcionários. E a cada dia que passa, mais eu admiro esses profissionais.
Para eles nossos animais não são apenas um a mais, mas sim; O Bolinha, A Pitchula, O Fred, A Miminha e assim por diante, cada um é "o paciente", e é tratado com o máximo carinho, atenção, não importanto qual o problema, nem quem é o proprietário,todos são tratados como se fossem únicos!
Admiro também a paciência que eles tem com os proprietários, pois vamos "combinar", proprietário é problemático! É pior que mãe em pediatra! Eu acho até que devia ter psicólogos acompanhando os veterinários para ajudarem com os proprietários. Não é fácil!
Outra coisa que admiro muito é a Ética desses profissionais, eu nunca ouvi qualquer comentário sobre outros profissionais de fora que vivem fazendo besteira (eu posso falar...) e se um está cuidando do caso, outro não dá nenhuma opinião, (a não ser quando solicitado ) não interferindo no diagnóstico do colega.
Já passei por várias clinicas, e em todas fui muito bem tratada. E a Pitchula mais ainda, e não é por que ela seja uma gracinha, pelo contrário, ela é uma ferinha, ainda bem que é pequena (4,5Kg) e não causou grande estrago, pois já coleciona a mão de dois estágiarios,dois enfermeiros e várias tentativas frustradas. Agora só na focinheira!
Observo esses médicos sempre na luta pela vida, e principalmente pela qualidade de vida! Sabendo que hoje em dia a maioria dos profissionais visa apenas o lucro, onde clínicas exploram os proprietários desesperados, procurando tirar o maior proveito possível, encontramos no HOVET-USP profissionais que colocam o bem estar do animal em primeiro lugar! Isso faz com que possamos acreditar, ainda, no ser humano. Vou citar as pessoas que atendem a Pitchula direto: da cardiologia: a drª Paula Leal, o dr Guilherme; da clinica: a drª Khadine, drª Denise, e também dr Alexandre, dr Eduardo, drª Bruna, os estagiários: Bruna, Ricardo, Bianca,Daniela, os enfermeiros Gilberto, Carlitos, Milton, Toninho e tantas outras pessoas que direta ou indiretamente lidam conosco e com nossos animais ( o pessoal do guichê, do RX, do Ultrassom... como é injusto citar alguns e esquecer os outros...Mesmo os que não a atendem direto, são tão atenciosos! Eu só tenho a agradecer o empenho, a atenção, o carinho de todos.

Muito obrigada, e que Deus abençõe a cada um.

CONSCIÊNCIA

Deveria ser mais estudado como a mente influencia a recuperação da saúde nas pessoas partindo dos animais. Observo que os animais se recuperam de um cancêr muito rápido. A resposta deles ao tratamento é muito boa. Será que é por que eles não tem a mesma consciência em relação a doença como nós? Vejo que os animais se sentem incomodados quando não estão bem, mas para eles é indiferente o motivo, tanto faz um câncer como uma gripe, é igual o incômodo.

sábado, 1 de setembro de 2007

MORTE

Estou aprendendo a ter que encarar a morte como alguma coisa muito próxima, que ronda, que espreita, que me cerca, se tornando cada vez mais familiar, a ponto de quase poder tocá-la!
O mais engraçado que eu trabalho com a morte, afinal eu fico no necrotério do hospital, no qual trabalho, a maior parte do dia e não a "sinto" como no Hospital Veterinário quando estou com a Pitchula. No trabalho ela ( a morte) é fato consumado, quando chega para mim, não há mais nada a fazer, a não ser lamentar a perda!
Eu já passei pela morte da minha mãe, quando era criança, depois a da minha madrasta, que foi uma segunda mãe. Meu marido foi a nove anos, nesse ano meu irmão. A morte está cada vez mais presente, já é quase da família! É um "ente" a mais. E agora todo dia de USP, ela ronda, se aproxima, leva um da maca do lado, outro da UTI, deixa passar o outro, mais um dia, mais um que escapou hoje, mais um que vai hoje, e amanhã? Quem será? Qual será? E médicos tentam driblar... médicos tentam ganhar tempo, ludibriam-na ou ela se finge de esquecida e deixa um ficar mais um pouco...

PERY

Pery era um poodle branco, tinha a idade da Pitchula, o problema do coraçãozinho dele era semelhante ao da Pitchula, mas em melhor estado. Na outra semana, na segunda, ele tomou soro normalmente, foi embora e a noite passou mal e foi, ele se foi...mais um, nessa semana foi a Pupi, e a Pituca também...Coincidência: os PPP estão indo...que medo!

TEMPO ESCASSO

O tempo anda escasso e quando eu tenho tempo não tenho muita disposição para escrever!


O primeiro impacto da saúde da Pitchula já passou, agora é administrar a situação. Ela está com insuficiência renal crônica e o tratamento é fluidoterapia, é aplicado soro intravenoso e subcutâneo. Um dia eu estou no Hospital trabalhando, no outro dia estou no Hospital Veterinário da USP cuidando dela, e assim eu vou levando. Vivendo um dia por vez, como se ele fosse o último, ou dela ou meu.